Publicado em

O DILEMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO

Maçonaria sem ritual é Maçonaria? O Rito Escocês nos EUA diz que sim.

Para compreender a origem e as razões do “elevador maçônico” ter sido institucionalizado no Rito Escocês dos EUA, acesse:

 

Faça o download preenchendo o seu e-mail!

 

e entenda seu impacto na Maçonaria atual.

20 comentários sobre “O DILEMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO

  1. Meu irmao Kennyo, mas um trabalho sem igual, porem, me surgi uma duvida. Existe um personagem importante para o rito de york como Albert Pike foi para o REAA?

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Cristiano, existe sim: Thomas Smith Webb. É considerado o “pai” do Rito de York, por ter desempenhado o papel de codificador, similar ao que Pike fez no REAA, porém muitos anos antes de Pike ter nascido.

  2. O Ir.’. Kennyo é uma verdadeira fonte de informação.

    1. …e de informação idônea, que é o principal, Ir.’. Frederico!

  3. É importante que você se una aos outros e sinta-se parte de um grupo, isso lhe dará sorte. A proximidade de amigos e pessoas confiáveis é uma enorme ajuda nos momentos de necessidade e doa a todos sempre uma grade força. Portanto, não hesite em propor-se de modo desinteressado e solidário com os outros.

  4. "Se a vontade de fazer algo te impulsiona constantemente a ficar ansioso, algum motivo há para esta ação, seja o sucesso ou o fracasso."

  5. Olá Ir.’. Kennyo. Você sabe onde posso encontrar o Guia dos Maçons Escossezes, ou Reguladores dos Tres Graus Simbolicos do Rito Antigo e Aceito de 1834? Já procurei na internet mas não encontrei. TFA

  6. Exato, por isso a necessidade de ter-mos como Amigos Pessoas idônias,humilde e de bom coração, então teremos ao nosso redor pessoas puras ou que procuram ser puras. é aquele velho ditado, olhe para os que o cercam e me diga quem és !

  7. o senhor quis dizer…explicação…né?

  8. Gosto muito de ler artigos da maçonaria. Se for possível gostaria de receber artigos sobre o GOB ou do rito excoseis na minha casa. Já procurei receber ao jornal esquadro. meu endereço é Rua Galdino Diniz n:170- CEP 56870000 Triunfo PE. Obrigado Antonio Sávio da Fonseca.

  9. Querido irmão Kennyo, estamos a montar um templo de York Americano e não acho dados de sua estrutura interna, cores, mosaico, colunas, orla e etc,
    Aonde poderia colher mais informações, pois hoje já possuímos um templo no REAA.
    Um TFA.
    SP

  10. Kennyo, bom dia!

    Sou Fagner Oliveira, A.’.M.’. do Rito Brasileiro, GOEB – GOB, e em minha cidade também existe uma Loja que trabalha no REAA.
    Costumo fazer visitas sempre que posso e não deixo de notar as diferenças entre os Ritos.
    Visito sempre que posso outros Lojas de outros Ritos, tais como: York(Emulation), Adonhiramita,Escocês Retificado.
    Pergunto, pois sois, junto com o Del Debbio, a minha fonte de informações mais antiga sobre a Ordem.( mesmo como profano, já seguia seus textos):
    1 -Terias conhecimento de Lojas do Rito de York(o americano) na Bahia fora da jurisdição do GOEB?
    2 -Essa dramatização, apresentada no texto, restringiu-se apenas ao EUA ou a influência chegou às Lojas Brasileiras?

    Fraternalmente,

    Fagner Oliveira.

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Fagner, obrigado pelo contato. Em primeiro lugar, vamos esclarecer uma coisa importante: York não é Emulação e Emulação não é York. York é Rito, Emulação é Ritual. Emulação não é um Ritual do Rito de York. York é do Século XVIII, Emulação é do Século XIX. York é norte-americano, Emulação é Londrino. O pai do York é Thomas Smith Webb, o pai do Emulação é a Emulation Lodge. York tem 1,5 milhão de praticantes, Emulação tem 150 mil. Eles não são similares e não devem ser confundidos. O próprio ritual de Emulação do GOB, em suas páginas preliminares, declara que “com impropriedade dizemos Rito de York ao sistema maçônico que segue estritamente as práticas inglesas, de um modo particular observando-se as cerimônias tradicionais do denominado Emulation Working”. Se o próprio GOB reconhece isso, não deveríamos promover essa confusão (que só ocorre na América do Sul, mais especificamente no Brasil e no Peru). Por isso, sempre que surge a oportunidade, sinto-me na obrigação de esclarecer esse ponto.
    Quanto as suas perguntas:
    1 – Sim. Na Bahia há 16 Lojas do Rito de York (o legítimo, americano). 13 são da GLEB e 3 são do GOBA.
    2 – O teatro nos altos graus do REAA nunca alcançou o Brasil. Mas essa dramatização, que é típica na Maçonaria norte-americana, também existe nos altos graus do Rito de York (legítimo), os quais são praticados no Brasil exatamente como são nos EUA.
    TFA.

  11. Irmão Kennyo,

    O REAA tem origem na França, sob os “dominios” Stuarts? E o Ritual adotado pelo Grande Oriente de França, tido como os de 1804, são os iniciais, originais para o Rito? Fraternalmente, agradeço pelo que puder auxiliar.

    Kennyo Ismail – Irmão Ronaldo, depende do que considera por “original”, considerando ser um rito originado de outro, que também era comumente chamado de “escocês”.

  12. Caríss.’. Ir.’.
    Kennyo

    Tenho a muito tempo acompanhado os seus trabalhos de pesquisa e posicionamento com as questões de maçonaria. E sou um dos seus seguidores, acredito muito na sua sapiência… Aproveitando a questão estou buscando saber sobrem o que é na sua essência, o sanctum sanctorum e o sólius.
    A questão é estou cursando um curso de pós-graduação em Filosofia maçônica aqui no RS, pela Faculdade Iracê da Bahia, onde os mestres (Professores) relatam que só pode subir no sanctum sanctorum o mestre instalado…Este assunto tem deixado muitas dúvidas, pois um resposta concreta não é repassada…

    Se for possível me responder ficarei muito agradecido…

    Já que estou relatando questões, peço que me diga da mesma forma se existe uma convenção internacional da maçonaria que apresenta o símbolo de companheiro maçom, como representação oficial das Lojas (O Compasso e o Esquadro) …

    S.’.F.’.U.’.

    Ir.’. Meirelles – M.’.M.’.
    Loja Estrela da Aurora, ao Or.’. de Sapiranga – RS

    Kennyo Ismail – Ir.´. Meirelles, o Sanctum Sanctorum em uma Loja Maçônica está representado pela área onde está presente as Três Grandes Luzes da Maçonaria: Livro Sagrado, Esquadro e Compasso. Na maioria das Lojas Maçônicas do mundo, você encontrará o Altar com as Três Grandes Luzes no centro da Loja, sobre um pavimento mosaico recuado, delimitado por uma orla dentada, que nada mais é do que a representação bidimensional dos véus que circundavam o Sanctum Sanctorum. Já o Sólio é o Trono onde o Venerável Mestre se senta. O Sólio não é a plataforma de três degraus sobre a qual está o Trono. Isso é chamado de “estação”, e os Vigilantes também têm as suas estações: o Primeiro Vigilante com dois degraus e o Segundo Vigilante com um degrau. Sólio e Sanctum Sanctorum não possuem qualquer relação.
    Já sobre o símbolo oficial da Maçonaria, não é. Você encontrará todas as variações. Nos países anglosaxônicos utiliza-se majoritariamente o compasso sobre o esquadro. Já nos países latinos vê-se muito o esquadro sobre o compasso. Assim como há países em que se usa o “G” no centro e outros não.

  13. Muito obrigado por teres me respondido, fiquei mais necessitado de entendimento, pois o que nos passam é diferente como lhes relatei…

    S.’.F.’.U.’.

    Ir.’. Meirelles

  14. Gostaria de entender sobre o ritual Taylor. Nao consigo encontrar nada sobre como comecou, porque, quem criou.
    So o “M.M. TAYLOR’S Handbook of Craft Freemasonry”, que se tem noticia.
    Eu o pratico, mas, ninguem sabe me explicar.
    Se o irmao pudesse me ajudar
    Agradeco
    S.F.U.
    Roberto

    Kennyo Ismail – Irmão Roberto, você é membro da GL do Texas? O Monitor de Taylor surgiu por volta de 1858, no Texas, pelas mãos de uma comissão liderada pelo PGM, William Taylor. Foi o primeiro monitor cuja impressão foi permitida no Texas. Alguns anos depois, já no início do século XX, o monitor passou por uma severa revisão, promovida pelo PGM Sam Hamilton, passando assim a ser oficialmente chamado de Monitor de Taylor-Hamilton.

  15. Parabéns pelos esclarecimentos.

  16. Poxa , que informações equivocadas e tendenciosas Kennyo . York nos EUA não é maconaria simbólica (Craft – Arte)la eles usam o Thomas Web Monitor que seria uma versão dos rituais antigos da Irlanda e da Maçonaria na Escocia e Inglaterra mas isto e apenas lendas. Nos e EUA York é capitular. York só é maçonaria simbólica no Brasil e em alguns outros países da américa latina, Bolivia e Chile. O Rito de York é a versão brasileira do ritual de emulação. Quando tu usas “york verdadeiro” crias uma confusão desnecessária para coisas simples

    Kennyo Ismail – Poxa, que informações equivocadas e tendenciosas, Kelber. Vou tentar informá-lo melhor a respeito:
    1 – Thomas Smith Webb, autor dos rituais do simbolismo americano, é também o autor do Rito de York (Altos Graus), e, por sinal, foram publicados juntos, ao mesmo tempo, como um sistema único. Se isso não o caracteriza como o mesmo rito, então você não entende o que é um Rito. Ah, e isso mais de 25 anos antes de inventarem o Emulação do outro lado do mundo.
    2 – Sobre países, também está equivocado. Darei apenas dois exemplos para ilustrar: Irmãos AMERICANOS fundaram a Grande Loja do Rito de York de Cuba, em 1820, com apoio de Grandes Lojas dos EUA, e isso antes mesmo do Emulação ser inventado, em 1823. Uma Grande Loja. Graus Simbólicos. Chamada de York e usando o Monitor de Webb. E agora??? Qual o argumento? Quer outro exemplo? Grande Loja de York do México. Mesmo caso, fundada por americanos, com apoio de Grandes Lojas dos EUA, trabalha até hoje e ainda em inglês. Por que os americanos as chamaram de York? Com certeza não é por influência do Brasil, que nessa época nem tinha Maçonaria.
    3 – Quem criou a confusão não foi o Rito de York, mas o GOB ao adotar o Emulação. E o GOB assume isso no preâmbulo do seu ritual de Emulação ao declarar que COM IMPROPRIEDADE chama de York o que na verdade é Emulação.
    Acho que é o bastante para responder ao seu comentário rico em acusações, mas pobre em informações. Obrigado pela oportunidade.

  17. audações!
    Meu nome é Leandro Paz Shartz, sou Comp.’. Mac.’. da ARGBCLS São João da Escócia 29 no Or.’. Recife PE. Trabalhamos no REAA.
    Tenho uma dúvida e gostaria, se possível, que fosse respondida citando fontes, pois pretendo apresentar em Loja a resposta.

    DUVIDA: É regular pedir a destituição temporária da jóia do cargo quando o Irmão Oficial for apresentar algum trabalho ou comunicação entre colunas?

    Agradeço desde já. e desculpe o incômodo.

    S.’. S.’. S.’.
    Tr.’. e frat.’. abr.’.

    Kennyo Ismail – Meu Ir.´. Leandro, infelizmente não poderei dar uma resposta definitiva sobre o questionamento, visto que temos alguns aspectos a serem levados em consideração.
    As regras de regularidade de práticas maçônicas são bastante curtas e abrangentes. Qualquer prática que utilize o esquadro e compasso sobre um livro sagrado, seja baseada na crença em um ser supremo e inspirada na simbologia da maçonaria operativa, restrita a homens, com três graus simbólicos, é basicamente uma prática maçônica regular. Nesse sentido, detalhes ritualísticos como esse dependem exclusivamente de dois fatores: normas contidas no ritual adotado e normas contidas na legislação maçônica da Obediência. Nesse sentido, caso um dos dois tipos de normas determinar que haja a destituição temporária do cargo quando o irmão realizar movimentação não prevista para aquele cargo, essa determinação é regular. No caso de não previsão de tal destituição temporária no ritual e na legislação vigente, então entendo que a prática seja desnecessária.
    Como cada Obediência tem total soberania sobre sua legislação e os rituais aprovados pela mesma, dependerá única e exclusivamente da mesma, não havendo uma regularidade ou irregularidade em sua decisão, já que se trata de um detalhe ritualístico que nada tem com os princípios básicos de regularidade existentes.

    1. grato!

  18. Saudações Fraternais Mano kennyo!

    Estou fazendo o download deste post e o artigo que está baixando e aquele da Maçonaria: Democracia & Meritocracia.
    Deve ser alguma falha no Blog.
    Veja isso pra gente!
    TFA
    Márcio Martins.’.

    Kennyo Ismail – Meu irmão Márcio, o erro foi corrigido. Muito obrigado pelo feedback! TFA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *