Publicado em

ALGUMAS INFLUÊNCIAS INGLESAS SOBRE A PRÁTICA DO REAA NO BRASIL

HOJE: o Trono do Segundo Vigilante no centro da Coluna do Sul.
ANTES: o correto era no lado ocidental da Coluna do Sul, voltado para o Oriente e paralelo ao do Primeiro Vigilante.
EXPLICAÇÃO: Os templos ingleses possuem 02 portas de entrada no Ocidente, tendo o trono do Primeiro Vigilante situado entre as mesmas, no centro da parede do Ocidente, e o trono do Segundo Vigilante no centro da Coluna Sul, formando assim um triângulo isósceles, em que o lado entre o Venerável e o Segundo Vigilante é do mesmo tamanho do lado entre o Primeiro Vigilante e o Segundo Vigilante. No templo original do REAA, como há apenas 01 porta centralizada no Ocidente, os tronos do Primeiro e do Segundo Vigilantes encontram-se nas extremidades ocidentais de cada Coluna, formando também um triângulo isósceles, onde o lado entre o Venerável e o Primeiro Vigilante tem o mesmo tamanho do lado entre o Venerável e o Segundo Vigilante. Esse formato original ainda é preservado em Graus Superiores do REAA. Os templos atuais das Lojas Simbólicas do REAA no Brasil mantiveram o trono do 1ºV, mas adotaram a posição do trono do 2ºV do ritual de emulação, desfigurando totalmente o triângulo, que passou a ser “escaleno”.

HOJE: O Pavimento Mosaico retangular reduzido ao centro do Templo.
ANTES: o pavimento no REAA cobria todo o Ocidente e as peças eram colocadas em posição de losango, assim como ainda pode ser visto em muitas Lojas tradicionais.
EXPLICAÇÃO: O Pavimento Mosaico retangular e reduzido ao centro do Templo é típico nos ritos que adotam a circulação em esquadria, onde a área do Pavimento Mosaico não deve ser pisada, e a circulação segue o vértice do Pavimento. Já no REAA, o movimento adotado é o dextrocêntrico, o que diverge completamente do Pavimento Mosaico centralizado que vemos ser adotado na maioria dos templos brasileiros do REAA.

HOJE: o Altar dos Juramentos no centro do Templo.
ANTES: apenas o Painel do Grau ficava no centro do Templo, e o Altar se encontrava no Oriente, à frente do Trono do Venerável Mestre, como ainda é usado no GOB.
EXPLICAÇÃO: no templo original do REAA, o lugar mais sagrado do templo é o Oriente, onde se encontra o ponto mais alto do templo, que representa a esfera mais alta da Cabala, a sabedoria divina. O Oriente é o “Santo dos Santos” do REAA, e por isso o Altar dos Juramentos se encontrava no Oriente. Já no templo inglês, o Oriente está no mesmo nível do Ocidente, e o “Santo dos Santos” está representado exatamente no Pavimento Mosaico, sendo essa a área mais sagrada do templo. Por esse motivo o Altar dos Juramentos se encontra no Pavimento. Os templos atuais do REAA no Brasil mantiveram o Oriente mais elevado, considerado o lugar mais sagrado, ao mesmo tempo em que transferiram o Altar dos Juramentos para o Pavimento Mosaico. Nossos “ritualistas” conseguiram a façanha de colocar 02 “Santos dos Santos” no mesmo templo!

HOJE: a Parede do Oriente é reta.
ANTES: a parede do Oriente, atrás do Venerável Mestre, era arredondada, como a nave de muitas Igrejas seculares.
EXPLICAÇÃO: esta mudança não somente se justifica por influência inglesa, mas também pela dificuldade maior de se construir no formato sugerido pelo Ritual. Vê-se no próprio Ritual de 1928, adotado por grande parte das Grandes Lojas brasileiras, a ilustração da parede arredondada no Oriente.

HOJE: a abertura e o fechamento do Livro da Lei ocorre durante a Abertura e Encerramento dos trabalhos.
ANTES: o Livro da Lei já encontrava-se aberto antes de começar a reunião e permanecia aberto durante toda a sessão, sem ser fechado durante o encerramento dos trabalhos.

EXPLICAÇÃO: o entendimento era de que as Luzes Fixas da Loja, Livro da Lei, esquadro e compasso, deveriam estar acesas durante todo o trabalho ritualístico. Já no ritual de Emulação, ocorre o atendimento ao Altar na Abertura e Encerramento dos trabalhos. Esse costume também acabou influenciando as novas versões de rituais do REAA que foram surgindo em cada Obediência e a cada mudança de Grão-Mestre.

6 comentários sobre “ALGUMAS INFLUÊNCIAS INGLESAS SOBRE A PRÁTICA DO REAA NO BRASIL

  1. Acho enriqucedor as matérias publicadas no site, são artigos curtos que nos trás conhecimento sem se tornar cansativo.

  2. HJ ENTREI NA COMUNIDADE E ESTOU MARAVILHADO!!
    MUITO CONHECIMENTO E ENRIQUECEDOR A CIÊNCIA DO SABER

  3. Sobre a posição do Altar, era uma pergunta que deixavam meus mestre assustados, já que eles não sabiam o porque disso. Até nossa literatura a respeito e esparsa. A verdade é que quando se juntou Inglaterra + USA nos REAA das GL brasileiras virou uma fatora ritualistica.

  4. Fantástico mano!!!

  5. Olá Ir. Kennyo!
    Encontrei uma edição traduzida do Ritual do REAA de 1804:

    http://www.oficina-reaa.org.br/v1/index.php?option=com_content&view=article&id=64&Itemid=59 (se quiser editar o comment e retirar o link, fica a vontade).

    Ali mostra o oriente arredondado. Mas também mostra o pavimento mosaico no centro do templo, com os três candelabros, semelhantes ao ritual anglo-saxão. Aparentemente o Oriente também não é elevado.

    Tens informação quanto à legitimidade dessa tradução?

    Uma outra pergunta: é possível ter acesso aos primeiros rituais traduzidos aqui no Brasil? Esses primeiros rituais foram traduzidos de rituais oriundos de onde? (Da França? do GOF, GLNF?).

    TFA

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Luis Henrique, infelizmente sei muito pouco sobre esse ritual de 1804, tão comentado no Brasil. Você encontra o pdf de livros e rituais originais de vários ritos, até mais antigos do que isso, mas não encontra esse. Interessante é que o REAA só chegou na França em 1804 e nos Altos Graus. Terem inventado rituais simbólicos para ele tão rapidamente e conseguido publica-los tão rapidamente deve ter sido uma grande façanha na época. Voltando ao ritual, geralmente os rituais da época não possuem layout da Loja. Se for esse o caso, o layout nessa tradução não foi copiado e sim criado. Então eu não poderia dizer se o templo para esse ritual teria ou não essas características. O que posso garantir é que nos EUA, onde o REAA foi criado, nem mesmo o templo do Grau 33 tem oriente elevado com balaustradas. Essas características são próprias da versão latina. TFA.

  6. Gostei muito da abordagem a respeito da influência inglesa sobre o REAA, é muito esclarecedor e ajuda muito a quem está sempre em busca de explicações sobre a ordem maçônica. Ir.’. Kennyo, eu, talvez por inexperiência própria, não conseguir identificar um campo específico para fazer perguntas aqui no seu blog, peço-lhe que me desculpe por estar usando este espaço, mas é que preciso tirar uma dúvida, qual seja: No REAA a palavra semestral é transmitida após fechar o livro da Lei, ou seja, após a loja fechada, eu gostaria de saber a razão de transmiti-la neste momento.

    Kennyo Ismail – Meu Irmão Carlindo, isso por conta do direito sagrado de todo maçom regular de assistir reuniões em qualquer Loja regular aberta, enquanto que a transmissão da palavra semestral é restrita aos membros da Loja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *