Publicado em

OLIMPO MAÇÔNICO

A atual Alta Administração de uma certa obediência maçônica brasileira, que causou uma gigantesca celeuma de nível nacional ao proibir a intervisitação que já existia há décadas com outro grupo de obediências, recentemente, sem nem ao menos lhe ser solicitada por qualquer uma das partes, resolveu criar uma comissão para tratar da conciliação entre os Supremos Conselhos da Ordem DeMolay existentes no Brasil. Como buscar a conciliação de outra Ordem, se ela não trabalha pela conciliação da sua própria? “Faça o que mando, não faça o que faço?” Antes de cobrar dos sobrinhos, deve-se dar o exemplo!

Tal fato já parece surreal sem levar em conta o fato de que foi essa obediência que, na década de 80, assim que soube da chegada ao Brasil da Ordem DeMolay, por intermédio do Supremo Conselho do REAA de Jacarepaguá (de Behring) e com o apoio das Grandes Lojas, apressou-se por fundar a sua própria ordem juvenil. E agora, ao começar seu período eleitoral, sua atual Alta Administração coloca seu candidato para tentar “salvar a pátria” da Ordem DeMolay: uma Ordem que eles mal conhecem em uma situação que completamente desconhecem.

Entretanto, se não bastasse, agora o candidato a Grão-Mestre “da situação” dessa Alta Administração declara que, na questão da celeuma da intervisitação, criada pela própria diretoria que ele compõe, se eleito dará como solução a criação de uma comissão para prestar consultoria na “regularização” das obediências com as quais ela proíbe a intervisitação. Ou seja, ou ele não sabe a diferença de regularidade e reconhecimento (já ensinei isso em 2011, neste post), ou, pior, ele não sabe nada sobre essas obediências às quais não visita, ao considera-las irregulares. De toda forma, aparenta imaginar que são compostas por irmãos ignorantes e incapazes, necessitando de seu socorro… “Pode isso, Arnaldo?” Por que não aproveitar essa ideia de “comissão de consultoria” e cria uma para revisar os pronunciamentos antes de publicá-los? Apresentam alguns erros de língua portuguesa e, principalmente, erros conceituais de Maçonaria.

Até quando a atual Alta Administração de tal obediência vai achar que é composta por deuses do Olimpo e querer resolver os problemas dos “pobres mortais”, sem ser chamada ou convidada, enquanto não consegue resolver seus próprios problemas e intrigas internas? Eu sei até quando… até o ano que vem, quando estará nas mãos de seu povo maçônico o poder de mudar essa triste realidade…

29 comentários sobre “OLIMPO MAÇÔNICO

  1. Bravo.
    Disse tudo brother!!!
    TFA

    1. Falou tudo! E o pior é que realmente se acham Deuses do Olimpo… E a tal de Maçonaria Universal?!… História da carochinha?…

  2. Pensei exatamente a mesma coisa quando li sobre as intenções de tal candidato, no que se refere a Ordem Demolay.
    Outra intenção do mesmo, é “auxiliar” as obediências não reconhecidas pela UGLE ou não presentes na List of Lodges, a conseguir estes. Curioso é o fato de até hoje nada ter feito, face as ações de seu Grão Mestre, que busca o inverso da sua promessa de campanha.
    Basta saber se o povo maçônico votante no pleito que ocorrerá no ano que vem, vai acreditar que vale a pena continuar com “mais do mesmo”, ou irá buscar renovação e evolução.

  3. Que esse texto chegue a todos aqueles que “realmente” querem fazer maçonaria como ela é!

    Parabéns pelo post, compactuo com cada palavra e vírgula desse pensamento!

    TFA.

  4. Disse tudo que eu gostaria de dizer! Falou com tanta clareza, que ném é necessário nomear os personagens!!!

  5. Fenomenal!! Pontualmente perfeito!

  6. Mandou bem querido Irmão, por essas & outras que caí fora dela e não me arrependo até hoje.
    Quando estiver pelos lados daqui do Rio de Janeiro me alegraria muito em revê-lo.
    Fraternal abraço,

  7. Eu tenho um sonho…
    Ver todos os maçons como irmãos, sem obediências ou títulos ou Olímpio…

  8. Falou e disse!!! Mudança JÁ!!!

  9. Faltou dizer que o Executivo tem poder de polícia. A caneta Mont Blanc rola a solta. Quando um Irmão ultrapassa o limite de velocidade da pista, o executivo fecha a rodovia (os queridos Irmãos de alguns estados sabem muito bem disto) sem consultar o judiciário criando sua própria jurisprudência e o Legislativo fica a ver a caneta sempre “canetando”.

  10. Kennyo vc sempre claro e pontual nas suas colocações. Parabens.

  11. Palavras muito sábias Ir Kenyo. Muito bem falou simplesmente tudo.

  12. Preciso como sempre.
    Parabéns.

  13. Concordo plenamente com o conteúdo aqui postado, em número, gênero e grau. Afonal de contas, pelo que já li sobre o assunto, espero que a chapa de oposição – SP, no pleito que se avizinha, tenha a competência, a humildade de reverter esse quadro que se instalou na cúpula, que tantos dissabores provocaram entre os IIr. do mundo maconico nacional.

  14. Justo e Perfeito! Sem querer entrar em querelas , mas achei de uma prepotência absurda a campanha desta “alta dignidade”. Parece até com política profana. E o pior é que vamos assistindo, aqui e acolá, tristes cenas, nada compatíveis com os ditames da Ordem. De se ver o ocorrido na reunião da CMI, em que um Maçom foi considerado “persona non grata”. É muito feio e lamentável fatos desta natureza.

  15. Grande mano Kennyo, muito bom o texto, serve para eles entenderem as coisas, ou pelo menos aceitarem as coisas como são. Quanto ao DeMolay, se eles conseguirem arrumar a casa deles, talvez, um dia possam tentar uma ingerência nos DeMolay’s, mesmo eu acreditando piamente que a maçônaria não deve ingerir na administração, pois todas as vezes que se meteu lá, deu “merda”.

  16. Queridos ir.: , nossa desunião é tremenda aí eu pergunto onde estão os preceitos dos landmarks ? Da maçonaria universal ? Só vaidade profana , enquanto formos profanos de avental ,haverá, essa hipocrisia,entre o seio maçônico.
    E a nossa relevância para nós mesmos está cada dia menos arraigada em nossas viceras . Um T.:A.:F.:

  17. Pois é…vaidade e poder movem estas pobres mentes de alma profana, ainda que os corpos já tenham sido iniciados na Ordem há tempos! Sonho com uma Maçonaria unida e sem mi-mi-mi, porém se depender dos membros da alta cúpula, isso ficará no campo do desejo. E infelizmente isso é o retrato fiel do modus operandi dos mandatários em geral de nosso querido Brasil, a afundá-lo cada vez mais num buraco negro. Façamos nossa parte, cobrando e sendo mais incisivos contra estes desmandos. T.’.F.’.A.’.

  18. alguem sabe me informar como foram fundadas e porque foram fundadas as potencias se só existia uma

    1. Da mesma forma que se fundam novas lojas. Intolerância ou não-conivência. Geralmente quem está no comando não pensa no todo e sim em si. Precisa estudar para saber se realmente foram inevitáveis tais cisões. Fácil com poucos anos de ordem, lendo dois ou três livrinhos achar que conhece a história. Não podemos julgar o que não vivemos. Esse papo de briga por intervisitação se tornou o maior “tesão ” na cabeça de quem se acha sangue azul.

    2. Como assim? E de onde veio esta uma que já existia?
      Por acaso, não veio de outra?

  19. Eu sei até que parece sério, mas é tudo armação
    O problema é: muita estrela, prá pouca constelação.

    Enquanto não parar de se iniciar por pura pompa, preocupação com passado questionável e bradar que Maçonaria é apenas filantropia vai continuar tudo como está a décadas.

    Se é só aspecto filantrópico como para muitos vai chorar no Lions ou Rotary. Se for só pompa e passado prefiro nem comentar.

    1. Em tempo, tem irmão por aí que trabalha com segurança ou é policial achando ruim Grão Mestre proibir portar arma em templo. Isso já explica muito. Onde tem cabimento arma em templo? Se não tem onde guardar sua arma por favor não apareça.

  20. excelentes palavras, caríssimo ir. Kennyo Ismail.

  21. “Sei do esforço para se conseguir as regularizações (sic)”…
    ler isso de uma alta dignidade postulante ao mais alto cargo representativo da Potência, me dá pontadas e palpitações…

  22. Alfeu de Luca.

    Texto pertinente, Ir. Kennio. Como a pretensão de poder pode embotar a fraternidade e a igualdade entre a irmandada.

  23. Ok. O problema está posto desde 1927. Todos estamos cansados de saber que nossa ordem é um celeiro de vaidades patológicas, doentias, insanas e perigosas.
    Em 1927 houve o primeiro racha. Em 1973 o segundo. Pronto. A tragédia está aí.
    Nada disso é novidade.
    Mas, e agora? Alguém poderia sugerir uma SOLUÇÃO para esse problema? Repito: todos já conhecemos bem o problema, mas quando alguém vai escrever apontando a SOLUÇÃO?
    Alguém acredita na solução? Se sim, qual seria ela? Mostre-a. Se não, o que fazemos? Abandonamos o barco? Do ponto de vista pragmático: o que os irmãos sugerem para qua paremos de reviver, a cada dia, a lenda de Hiram? Alguém ainda é ingênuo de achar que esse problema tem jeito? Isso só vai ter jeito quando a natureza humana evoluir. Infelizmente maçonaria é feita de homens, e homens, no mais das vezes, têm má índole. Ou a gente fica ou sai.

  24. Hoje a maçonaria em geral está cheia de pavões e seus penduricalhos… se esquecem do principal, se esquecem de estreitar os laços que nos unem como verdadeiros irmãos, se esquecem que a maçonaria é simples demais, é apenas fraternidade!
    Confundem conhecimento com conhecimento, confundem informação com inteligência…
    A solução para este “problema” é simples, chama-se humildade e respeito.

  25. A Única Grande Potência que conheço é a Fraternidade e esta é avessa a qualquer sectarismo, pois a Universalidade faz parte não só da semântica quanto da própria estrutura Maçônica.
    “A forma de governo mais adequada ao artista é a ausência de governo. Autoridade sobre ele e a sua arte é algo de ridículo” (Oscar Wilde).
    Baita TFA a todos, especialmente, ao Ir:. Kennyo que há alguns anos me recebeu num almoço em família tratando de outros temas que urgem evolução.
    Do “Olimpo” de Santiago, RS, 29 de agosto de 2017.
    Alfredo Bochi Brum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *